sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Cada estrela

4 Comentários

Respirei fundo de frente praquele finzinho de pôr do sol. Laranja, rosa, quase lilás. As cores de um céu pintado de festa contrastavam o que eu não queria ver. Um dia novo. Um dia novo e cheio de convites pra sorrir. As cores mostravam como o mundo é bonito e os recomeços possíveis. E as pontadas no peito lembrando que o mundo não tem graça sem você cabendo nele.
Foi fácil secar cada lágrima que veio sem aviso e as tantas outras que previ com as suas músicas preferidas invadindo os meus fones de ouvido - as mangas da blusa velha que cê esqueceu aqui são mesmo ótimas pra isso. Difícil foi evitá-las. Engolir o grito que vinha rasgando a garganta a cada flash seu na memória. Daqueles dias de chuva, das histórias que nunca tinham um final possível, da viagem prometida que a gente nunca cumpriu, da tua fascinação e medo da noite.
Sabe, a noite pode ser sim uma boa companheira. Foi nela que tentei curar a falta do teu riso, do teu deboche, do teu jeito bonito que encantava e irritava tanta gente. E ali fui descobrindo mais. As verdades que tanto evitávamos não são tão desconcertantes. Bicho é mesmo bem melhor que muita gente. Aquele boteco da esquina até que tem bom atendimento e, olha, to aqui concordando que cerveja gelada cai bem.
É. Gastei algumas madrugadas e trocados por aí, tingindo guardanapos com saudade tua. Tropeçando nos erros que eu negava, resgatando cada fala sua. E assim foram passando também os dias. Com poucas surpresas e velhas notícias.
O cara estranho daquele café badalado continua cantando Stand by me daquele jeito engraçado, errando a ordem do refrão. A rua nove continua com aquela obra que tira a minha calma. Aquela senhora simpática do quarto andar continua insistindo que cada estrela no céu é um presente seu. A chance de mudar pra BH veio, mas não foi lá bem como eu esperava. Aquela minha amiga não era mesmo tão amiga como a gente suspeitava.
Gente que vai, tombo que vem. Por fora tudo parece mudar tão depressa. Previsões, moda, ponteiros, fofocas, estação, calendário. Por dentro só uma demora em te superar. A vida? A vida até que vai bem. Mas é punk viver num mundo onde não tem você.

                _______________________________________________________________


Cada estrela é uma das crônicas do meu novo livro, Amor, Insônia e outras travessias, em parceria com a autora Aryane Silva, autora do livro (re)encontros e do blog Amor em letras. O livro está em pré-venda (linda e cheia de vantagens) na Livraria virtual Sanfer Livros e o lançamento acontecerá em dezembro, no Rio de Janeiro. 

Amor, Insônia e outras travessias foi pensado e feito com um carinho todo especial e esperamos muito que vocês gostem! Confira mais do livro AQUI.





Yohana Sanfer tem 33 anos, é escritora, autora do blog Papel, palavra, coração, autora  dos livros Da boca pra dentro,  
É de menino, é de menina  e criadora da livraria virtual Sanfer Livros.   
                                                        
Siga- no

4 comentários:

  1. Poxa, que bad, mas ao meso tempo, que lindo! Adorei!

    ~ Blog Compulsivamente Literária

    ResponderExcluir
  2. Uma bela cronica, que faz arder algumas feridas que carregamos, mas que ao mesmo tempo nos faz refletir sobre a oportunidade que temos de recomeçar, de fazer diferente. Um lindo texto.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Adorei a cronica, ela teve um ritmo bem natural, me fez simpatizar com a narradora e me sentir sua companheira na empreita, parabéns muito bom, fiquei curiosa com seu livro.

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Adorei o seu texto, me senti totalmente envolvida com suas palavras! Voce realmente leva muito jeito com a escrita.
    Parabéns!!!
    Bjo

    ResponderExcluir