segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

A dreamer


Ando descalça.Tenho areia e a tal vontade de infinito nos pés.  
Carrego alguma coisa que me veste os recomeços e que compensa as horas risíveis. 
Aquilo que me dedilha as travessias, me faz mergulhar e me devolve o fôlego. 
Que me pede pra olhar além e me dá a coragem de voar sem asas e entardecer palavras. 
Que não morre e nem sucumbe, que justifica as batidas no peito e me costura a alma. 
Aquilo que cresce, calibra, colore e me atravessa inteira: o sonho. 
Carrego um sonho.