quarta-feira, 26 de junho de 2013

Da cor de junho.

7 Comentários

Há uma euforia nos ares, 
em todos os lugares,
bocas e olhares num misto de dor e esperança. 

Vozes ocupando ruas,
ruas abraçando gritos
e uma parcela verde e amarela limitando a aquarela da luta.

Pois para e escuta: aqui dentro, não. 
Aqui tudo é vermelho.
Sangue, garra, emoção. 

Num orgulho teimoso de quem faz da vida uma eterna resistência e atravessa os dias com paixão.

Por isso, aviso:
Só vou colorir minha cara quando o negro não levar mais tiro
e a igualdade, muito mais que um direito, for uma premissa.

Só visto a camisa, quando o pão chegar à mesa
bem antes que a tristeza de não ter o que brindar.

Quando o meu ventre não for mais problema,
quando a miséria sair de cena
e o futuro nos presentear com tempo pra sonhar.

Permaneço na avenida até que infância não seja interrompida,
e desse inverno surgir a revanche pra todo esse desgoverno.

Por hora, brigo pelo oprimido, pelo explorado, pelo esquecido.
Pelo suor derramado, pelo beijo não dado e pelo tempo perdido.

Fico assim, até que todos os nós sejam desatados,
até que a revolução nos permita um amanhã mais feliz.

Aqui, repito: tudo é vermelho, tudo é bonito.
Bandeira, pele e coração.
Que maior que esse nacionalismo ou a covardia do fascismo,
tem a vontade de ousar transformar em sim toda uma História de não.
Então, faz favor:
anota na consciência,
que a favor da desobediência e a despeito da poesia,
aqui a paciência e a calmaria hoje andam por um triz.
 
Que não me manchem de branco,
que não me coloquem fronteiras,
a liberdade é o meu país.

7 comentários:

  1. Ontem comprei dois livros, Armadilhas da Mente de Augusto Cury e Manuscrito encontrado em Accra de Paulo Coelho e me vi idealizando uma pilha de livros seus expostos ao público no Aeroporto dos Guararapes, como esses que adquiri. Você sabe do poder da mente e daqui emano energias positivas para que minha idealização se materialize logo. Esse seu último texto é um poema liiiiiindo que me encanta, como tudo que você escreve. Mil beijos amiga caríssima.

    ResponderExcluir
  2. Yohana, você fica linda de poesia! Mais do que simples versos, as palavras são fortes e vibrantes. Amei! Parabéns, amiga tão talentosa!

    ResponderExcluir
  3. Como disse a sábia Carol: você fica linda de poesia! Te cai muito bem!
    Como já pedi mil vezes: me conta onde tu pescou este seu talento?! hahaha

    Palavras bordadinhas sobre um momento ímpar do país.
    Tanta luta nas ruas e tanta beleza nas suas linhas.

    Amei.

    ResponderExcluir
  4. Encontrei seu blog por acaso , ou melhor providência , amo a boa leitura e a seu talento é indiscutível !Parabéns e muitas bençãos em sua vida , que você tenha muito sucesso e cada dia mais inspiração !Beijo fraterno

    ResponderExcluir
  5. Através de uma prima, descobri suas poesias, sempre me perguntava se a poesia havia se aposentado para o mundo porque não via nada de novo, de atual que refletisse nossas angústias , nossas gotas de sangue, suor e lágrimas, nosso taco da história. E vi na sua poesia o meu grito preso na garganta , vi uma poesia que reflete com bom senso e sentimento claro, a nossa vida...um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  6. hola paso visitando su blog, reciban bendiciones en el nombre de Jesús-
    Mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Passando para conhecer seu blog. Parabéns, tem um ótimo conteúdo.
    Já seguindo. Abraços.

    O POETA E A MADRUGADA
    opoetaeamadrugada.blogspot.com

    ResponderExcluir