quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Inteira.

19 Comentários


Imprimo o que me contém.
Não espere que eu seja contida. Minhas emoções extravasam minhas bordas, borbulham na superfície, transbordam de mim. 
Expresso o que me toca. Não me peça pra ser impassível. Sou feita de sentir. E meu sentir faz bagunça, sobe no palco, salta do peito. Gosto de viver assim: des-me-di-da-men-te-a-pai-xo-na-da. 
Quisera eu, ser feita de silêncios. Daqueles que restauram e espelham. Daqueles que traduzem. Tem muito barulho por aqui. Tem o riso solto, a alegria escancarada, a música alta. Tem a vontade de realizar e uma implicância danada com essa coisa de se bastar. Uma fé infantil no futuro. 
Sou feliz e grata com a vida que tenho mas vivo seguindo o conselho de Fernando Pessoa: não acostumo com o que não me faz feliz e revolto-me quando julgo necessário.  
Não sei fingir sentimentos. Não sei ensaiar simpatia. Ainda não aprendi a ignorar o que me ofende, me acomodar com o que incomoda, usar o silêncio como suposta superioridade e pseudo-atestado de controle. Jamais conseguiria, vivo à flor da pele, obedeço o coração. Meu riso será indecente quando surgido, meu questionamento será inevitável quando provocado, meu choro, um convite: me conheça. 
Me faça surpresas, me leve para ver o pôr do sol. Sou cativada por detalhes, uma encantada por pequenices. Me escreva qualquer frase que combine com o seu querer, apareça do nada e me presenteie com cheiros, com cores, com vinho, com móbiles e palavras. Não é difícil me fazer sorrir.
Não me queira cética. Acredito em milagres, em intuições, em abraços e em declarações de amor. Desacreditar seria desistir, seria entristecer. E eu recuso todo e qualquer convite da tristeza. Alegria é o que me inspira. Emoção o que me traduz. Acreditar é o que explica a minha vida. 
Me faça convites, me conte uma história. Vamos deitar numa pedra e admirar o céu sem procurar saber da hora. Meu relógio pára numa prosa em boa companhia.
Espere de mim ideias, perguntas e também respostas. Respostas gentis, atenciosas, debochadas ou tortas. Tem opção para todos os gostos e reciprocidade para todos os gestos. Mas não espere de mim amarguras. Não confunda a minha receita. Tenho doses de doçura e pimenta para muitas porções, mas nunca cultivei o rancor.  
Espere de mim o perdão, o pedido e o concedido. Sei reconhecer minhas falhas e acredito em qualquer um até mesmo depois que me prove o contrário. Sei dar segunda chance a quem merece, a quem faz valer a caminhada. E assumo todos os riscos. Prefiro assim do que me confortar com serás. Sou adepta do tentar e também do refazer. 
Conte comigo, te dou meu ombro e minha sinceridade. Chegue mais perto, pegue na minha mão. Divido meus sonhos contigo, te empresto meus discos e meus livros. Me dê conselhos, me dê espaço. Repouso no teu colo e te conto a minha história. Tenho essa mania errante de me espalhar por aí. 
Não tenho muita paciência, releve esse meu pesar. Não tenho vocação pra viver a conta-gotas. Me instigue mas não me provoque tanto. Me queira serena, quieta, satisfeita. Tenho febres elevadas, desejos insaciáveis, tenho coragens infinitas quando desafiada. 
Tenho a mania de deixar o desaforo da porta pra fora. Sabe aquele texto da Martha Medeiros que diz: "Não grite comigo. Tenho o péssimo hábito de revidar"? Pois é. Se eu pudesse, estenderia a mão e diria a autora: bate aqui. Meu maior defeito talvez seja este. Minha defesa primeira. 
Conte com a minha bondade, abrace o meu afeto mas não subestime a minha mansidão. Não apronte comigo contando com a minha suavidade. Ainda não aprendi com a sabedoria daqueles que deixam pra lá, não compactuo com aqueles que se contém corroendo por dentro. Nessas horas extravio a educação bonita que mamãe me deu e sigo concordando que respeito é pra quem tem. 
Pareço vento e de repente eu seja mesmo. Mas veja, sou simples de se capturar. Meu parecer talvez seja este: eu simpatizo com os urgentes e me recolho na intensidade. Suplico a paciência e enlouqueço na espera. O talvez não me responde, o quase não me convence, o "não sei" me sufoca o peito e me arde toda.  
Eu vivo é de quereres, insaciáveis e emergentes. Reciclo minhas coragens e não confiro a temperatura da água. Eu mergulho. Inteira. E descubro que sei nadar.

19 comentários:

  1. Que lindo, amo textos assim.
    "Me faça surpresas, me leve para ver o pôr do sol. Sou cativada por detalhes, uma encantada por pequenices."
    Lindo aqui.
    Beijinhos Adocicados.
    http://priicampos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. "(...) Não me queira cética. Acredito em milagres, em intuições, em abraços e em declarações de amor. Desacreditar seria desistir, seria entristecer. E eu recuso todo e qualquer convite da tristeza. Alegria é o que me inspira. Emoção o que me traduz. Acreditar é o que explica a minha vida."

    Me descreve!

    ResponderExcluir
  3. Oi,Yohana!Eu já fui assim de me atirar de cabeça,inteira hoje sou mais ponderada.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Adoro quem é assim, entregue. Acho só que com o tempo a gente aprende que um pouco de controle sobre isso é bom, nem todo mundo ou tudo merece tanta entrega, mas quando ela acontece com quem e o que vale é a melhor coisa da vida!

    ResponderExcluir
  5. O que posso dizer sobre esse texto além do que "amei profundamente e me identifiquei com praticamente cada coisa dita nele"? Acho que nada. ;)

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  6. adorei suas palavras e já estão impressas no meu blog, devidamente creditadas como se deve. seguindo seu blog! conheça o meu e se gostar segue-me ok? abçs!

    ResponderExcluir
  7. Tá aí, gostaria de ter escrito essa lindeza. Completamente verdade... ''Sou cativada por detalhes, uma encantada por pequenices.''

    Adoro suas visitas no meu blog.
    Beijo sua linda! :)

    ResponderExcluir
  8. Prazer em conhecê-la. Lindo ver quem escreve e vive assim, com entrega, inteira. Texto inspirador.

    ResponderExcluir
  9. Bonita a tua reflexão.
    Parabéns, do meu ponto de vista você acertou em muitas coisas.
    Seu blog é fascinante, gostei muito dele e estou seguindo!
    Tenha um final de semana maravilhoso
    E continue sempre postando, vou estar sempre aqui curtindo suas ideias!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Que o Natal seja mais um momento em que todas as pessoas acreditem que vale a pena viver um Ano Novo. Boas festas, abraços de muita luz e paz! :)

    ResponderExcluir
  11. Que pases unas felices fiestas llenas de alegría.
    Buen fin de semana,
    ¡Feliz Navidad!
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Que lindo teu texto. *-* Adorei teu texto. Digamos, perfeito. Tenha um ótimo natal Beijos!
    percepcaooculta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Lindo texto! que nossos nados sejam sempre o mergulho para de nós, ainda que haja naufrágios, renasceremos inteiros.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Amei garota!
    Estarei sempre acompanhando,
    foi um prazer te encontrar...

    Jal Magalhães
    www.donnapoesias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. coisa mais linda ler esse texto! nunca li uma coisa assim tão linda e que me uma forma me senti dentro dele, confesso que lagrimas surgiram em meus olhos ao ler
    parabéns por ter tanta leveza e força em suas palavras, gratidão por ler tudo isso, devorando o seu blog.!

    ResponderExcluir
  16. Amei ♥
    "Eu vivo é de quereres, insaciáveis e emergentes. Reciclo minhas coragens e não confiro a temperatura da água. Eu mergulho. Inteira. E descubro que sei nadar."

    ResponderExcluir