quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Não flexione o sentimento.

19 Comentários

Senta aqui. Vamos ter uma conversa.
Ando cansada das histórias bobas que escuto por aí. Mulheres ironizando homens. Homens debochando de mulheres. Ambos reforçando o enorme rombo socialmente enraizado. 
Que papo é esse de que mulheres são choronas e passivas? E que homens são durões, insensíveis ou não sabem amar?
Que amor é assunto mulherzinha e sexo unicamente assunto masculino?
 Que época é essa em que ainda feminizamos o amor e justificamos a falta dele como algo comum e natural ao gênero masculino? Que é legal desdenhar e desacreditar do outro numa batalha sem fim e sem fundamento?
Vou te contar umas coisas. Já cuidei por gentileza e não por dom. Já vivi o romantismo de uma relação por recíproca e não submissão ou idealismos impostos. Já perdoei pelo outro fazer valer e por ser livre para tanto. Já magoei e errei também como muitos rapazinhos foram capazes de fazer.
Também já escorreguei nas armadilhas do machismo. Já julguei e fui julgada. Já olhei torto para a roupa de alguém. Já reprovei alguém pela quantidade de parceiros que teve. Já dei trela pra revistas bobas e suas matérias tendenciosas em que mulheres estão sempre à espera do amor ideal e homens não querem saber de nada. O bom é que o refletir ensina e a gente organiza as ideias e levanta umas bandeiras. 
Aprende que meninas não devem ser criadas para serem princesas frágeis passíveis de cuidados especiais e dependências. E que meninos não serão super-heróis. Entende que mulheres são donas de seus corpos, de suas vidas e seus destinos. Que homem chora e pira de ciúmes. E que matrimônio e maternidade devem ser escolhas e não regras para o consenso das convenções. 
Aprende que amor e qualquer outro sentimento que brilhe é bonito nela e nele. E que, muito mais que a força e a fraqueza aparentes e construídas, as atitudes e  personalidades é que vão determinar a grandeza de cada um.
Uma bobagem achar que amar é assunto e função para as chamadas mulherzinhas e seus corações molengas. Uma pena que ainda há quem acredite que homem e mulher sejam tão diferentes pra sentir e atribuem sentir como fraqueza e fraqueza como característica naturalmente feminina. 
Um desperdício que ainda se perca tempo com piadas machistas ou distorções do feminismo, como achar que homens e mulheres devam ser rivais e concorrentes e fechar os olhos para a origem das opressões. Para as verdadeiras desigualdades e diferenças.
Machismo tem pai e mãe. O capitalismo e a ignorância. E pra essa família crescer só depende da gente. Da nossa grande disposição pra reproduzir tolices e moralismos banais.  
Esqueça aquele papo de mulheres são de Vênus e homens são de Marte. Finque os pés na Terra e entenda: o homem poderá errar por uma questão de caráter ou falta dele. A mulher poderá fazer drama por seu temperamento particular. E vice- versa. Simples assim. Sem generalizações, papinho de instinto, papinho de que todas as mulheres são loucas e de que os todos os homens são iguais. 
Acredite, mulheres não nasceram somente para relacionamentos e homens podem sim mergulhar de cabeça quando apaixonados. Ambos cairão de amores quando o coração falar mais alto e o sucesso do que se vive, dependerá muito mais de suas atitudes e disposição pra sentir do que de características ou rótulos que atribuem ao gênero feminino ou masculino.
No amor somos iguais. Ou ao menos deveríamos. Por isso te peço: não flexione o sentimento. Amor não deve ter gênero e gênero não deve ter grau.
                                                                                          

19 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Áurea! Que bom! Obrigada pelo olhar!
      Tentei visitar seu blog mas não o encontrei, te agradeço aqui. Bjs e venha sempre!

      Excluir
  2. Seu blog é lindo, muito fofo mesmo*0* parabéns!! Já estou te seguindo amada =))

    Convido voce e suas leitoras a conhecer meu blog

    http://toobege.blogspot.com.br/

    Beijinhoooos ;**

    ResponderExcluir
  3. É isso aí...

    Estou contigo e não abro.

    Ótima tarde de quarta para você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Will! Tentei comentar em seu blog mas não consegui. Adorei a sua crônica "Dormir juntinhos", uma ode à sintonia!
      bjs, venha sempre.

      Excluir
  4. Muito linda, verdadeira essa afirmação. Concordo. temos que parar de jogar a culpa nos outros e achar que o amor é coisa pra mulher e sair pra beber é coisa de homem. tem muita mulher machista, tem muito homem que chora e vira a vida do avesso por causa da mulher que ele ama.
    Só que existe um treco chamado orgulho. E outro chamado natureza humana. O ambiente faz o resto, e proto, aí está, um plato completinho de ignorância servido pra se comer pelando na guerrinha dos sexos.

    Metade do todos pensam não é verdade. Homem chora, briga, faz birra, carinho, e dá proteção. Mulher é independente, paga suas contas, sai com as amigas, e algumas - das quais faço parte - não são românticas e nem romantizam a vida, não querem ter filhos e preferem morar junto a casar.
    Bem vindos a vida real.

    Resumindo agora (rs): ADOREI!!!

    Paolla

    ResponderExcluir
  5. Oi,Yohana!Nossa que texto lindo,concordo plenamente.O amor independe do sexo, todos são aptos a amar,basta querer e acreditar nesse sentimento.
    Beijossss

    ResponderExcluir
  6. Muito bom Yohana! Não tem o que tirar nem por, você novamente falou tudo o que tinha que ser dito. Adorei!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Flor, ótimo tesxto! Ótima reflexão... Chega desse machisto tosco, chega desse feminismo óbvio!! A vida é pra ser vivida...independente da forma, da escolha... Estava com saudades de ter tempo pra "te ler" rs... Beijoks!

    ResponderExcluir
  8. querida linda e verdadeira reflexão.

    Falaste a verdade, tem tanta gente criando bobagem na cabeça e revistas que enfiam tanta minhoca na cabeça das pessoas.

    Yohana eu ja disse que quando crescer quero escrever igual a você? (risos)

    Beijo menina, tem final de história la no blog.

    ResponderExcluir
  9. Adorei sua forma crítica de escrever. Também curti muito o design do blog. Não sei se estou certa mas tive a impressão de que você cursa jornalismo... KKK Grande abraço, voltarei mais vezes aqui!

    ResponderExcluir
  10. LINDO TEXTO GURIA.
    A melhor forma de refletimos é em forma de poesia, e voc~e nos trouxe isso.
    Também ando cansada dessa guerrinha besta dos sexos.
    Deveríamos ser felizes, e pronto.

    ResponderExcluir
  11. Oi Yohana! Não se se será possível de ler esse meu comentário, mas preciso dizer que estou lendo e amando seu livro! Essa foi minha crônica favorita, eu sou um tanto feminista, então não tive como não amar! Concordei com tudo que você disse, principalmente na parte dos culpados e que somos nós que não devemos nos submeter ao machismo. Já critiquei muito e confesso que era até mesmo meio machista, mas não sabia direito o que era isso até a faculdade e agora que sei juro que mudou e muito minha opinião. Essa sua crônica diz e muito a respeito do que acho e penso, eu gostei muito e foi uma das minhas favoritas do livro!

    ps: Sou a Carla a quem você enviou o livro, que na verdade foi por conta do blog Jornalismo na Alma

    Te conheci a pouco tempo e sou com toda certeza uma fã sua!

    meu blog pessoal: vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Uma das favoritas do Da Boca Pra Dentro. ♥

    ResponderExcluir
  13. Muito bom o texto ! Gostei! A carapuça me serviu. Bjs e obrigada , Tina

    ResponderExcluir
  14. Muito bom o texto ! Gostei! A carapuça me serviu. Bjs e obrigada , Tina

    ResponderExcluir