terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Conselho

11 Comentários

Começa com uma noite despretensiosa. Como um dia qualquer que você jurava não render mais que uma boa conversa de bar com amigos e o enfrentamento daquele congestionamento clássico na volta pra casa.
 

Por obra do destino ou do acaso - esses danados - entre o barzinho e o engarrafamento surge uma surpresa. Uma surpresa linda de um metro e oitenta, pele de morena e sorriso bobo. O sorriso é tão bobo e gratuito que não lhe anuncia perigo do momento que lhe é apresentado até o momento da despedida. 

Os dias que se seguem trazem um oi na rede virtual, um número de telefone trocado, histórias e compatibilidades compartilhadas, risadas, um convite aceito e a sua cara de tonta rindo para a tela do computador. 

Até que a surpresa bem vinda te acolhe numa sábado à noite com um blues qualquer que combine com meia luz e taças regadas.
 

O presságio vem com os próximos gestos. Aqueles inesperados e certeiros que nos fazem querer ouvir o mesmo blues pra sempre. Querer assistir "Before Sunset" pra sempre. Desejar beber aquele suco de laranja com morango por todas as manhãs, se preparados por ele, que chegou sorrateiro, ficou sem permissão e entre flores, filmes e pores do sol, sugeriu um futuro bom que você já desacreditava pelo clichê do medo.

Até que o coração, companheiro valente ou belo tratante, mostra que não é à toa que é chamado de músculo involuntário - soma-se aqui afobado e inconsequente - e te manda o sinal de que há algo novo causando seus descompassos. E desta vez não tem a ver com bloqueio da válvula mitral, crises de estafa ou de ansiedade. 

Você se apaixonou novamente. 

Você, que jurou que aquela outra vez seria a última, está denovo ouvindo Sixpence none the richer, anda com pensamento longe, brilho no olhar e se culpa por não cumprir a promessa feita a si mesma. Bobagem. Você sabia o tempo todo, só não acreditou na sua intuição que te mandou aviso quando você subestimou aquele sorriso que além de bobo, poderia ser arrebatador. 

Nem perca tempo no processo de negação. Reverencie o momento, aceite o desafio. Encare como dádiva a paixão lhe chegar assim, repentina, em tempos de busca frustrada e incessante pela tal. 
Mande seu ego passear pra bem longe e acredite. Do calafrio que a insegurança lhe traz, a cada dia de recíproca, restará a certeza do passo certo. E em pouco tempo as borboletas no estômago se transformarão em leveza e cor.  
Liberte o medo. Liberte-se dos conceitos pré-determinados. Aproveite, arrisque, desaprenda o medo de errar. Apenas abstraia e flutue. Leve, simples, sublime, como bolhinhas de sabão. Baixe a guarda, que uma vez a paixão instalada, lutar contra é dispêndio de energia em vão.

11 comentários:

  1. Essa é a descrição do passo a passo de uma paixão. Assim, de soslaio ela invade o coração relutando com a negativa de que assim não pode ser e vence a luta. Êita!!! Minha escritora-vidente novamente arrasou na crônica!!!Mais uma para somar às páginas do seu livro que, se Deus quiser, será produzido em breve. Você vai ver!!!! Bjs e parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Baixe a guarda...Bjos Yohanna adoro vir em seu blog porque sei que vou encontrar sempre textos muito bons =)

    ResponderExcluir
  3. OI,Yohana!Lindo teu texto, adoro a maneira como tu relatas os acontecimentos é a paixão é imprevisível ela vem quando e de onde se menos espera e isso é o que dá graça aos nossos dias e a nossa vida, o inesperado, o mágico, a surpresa.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Lindo Yohana!
    É exatamente isso. Eu tinha sempre uma frase bem clichê na minha cabeça para encorajar momentos de paixão: "Se vc não pula no mar, nunca se afogará, mas jamais sentirá o beijo da sereia" Clichê mas a pura verdade, só vive um grande amor quem se entrega a ele e deixa que aconteça. Vai em frente!:)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Yohana, deste mal eu ando bem livre...hahaha mas eu acho que o problema é esse, as coisas quando tem que acontecer, acontecem de surpresa antes mesmo que a gente pare pra pensar.
    Adorei aqui.
    Beijos Querida!

    ResponderExcluir
  6. Encantador, Yo! Coisa gostosa de se ler e maravilhoso de se sentir.

    ResponderExcluir
  7. Ei, já sigo seu blog e adoro, o layout é incrível e você escreve muito! Da uma visitinha no meu e se gostar segue? Me ajuda a chegar aos mil seguidores antes do segundo aniversário do blog? por favor por favor por favor , tô contando mt com vc ><

    Obrigada
    bejus
    http://laialisafa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá,Yohana.Essa é minha primeira visita ao blog.Vi seu link no grupo Projeto Blokutando no Face e resolvi vir conhecê-lo.Adorei seu blog e já estou lhe seguindo.Seu blog é muito bem organizado e suas postagens muito bem elaboradas.Te convido a conhecer meu blog e segui-lo também.Aguardo sua visitinha!
    Bjs!
    Zilda Mara
    @ZildaPeixoto
    http://www.cacholaliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Tão aconchegante esse lugar.

    Flores e uma ventania
    de bons pensamentos.

    ResponderExcluir
  10. há forças contra as quais nada podemos...
    beijinho!

    ResponderExcluir
  11. Nossa,um dos textos mais incríveis que já li.Talvez seja também pelo momento tão propício, cheguei a dar um sorrisinho em algumas linhas e vendo o quão verdade é quando já desistimos de qualquer paixão e vem alguém roubando o coração de novo! haha

    Lindo o texto! Beijos!!

    ResponderExcluir