sábado, 12 de março de 2011

Eu apenas queria que você soubesse...

41 Comentários



Eu te vi. Anos após te perder de vista e dois dias após ter tocado no seu nome com uma amiga, por acaso ou ironia do destino, veja só, eu te vi.  
Onde nunca imaginei, tão coincidente, tão perto. 
Te vi andando na calçada vestindo uma camisa vinho e o mesmo lindo sorriso que tantas vezes foi meu. Eu estava dentro de um taxi, apressada, atrasada, na confusão dessa cidade urgente e me vi quebrando todo o corpo com as mãos no vidro da janela assistindo, surpresa, você passar. E assim passou também um filme que me levou de volta àquele mês de dezembro. E por mais que você não acredite, eu digo que sim, era bonito, era real. 
Era um livro emprestado, uma foto ainda guardada, um cd não devolvido. Um passeio na praça beirando a madrugada, uma mesa, duas cadeiras e toda uma platéia curiosa. Era uma canção de Gonzaguinha cantada ao pé do ouvido na areia da praia de lua prateada e o beijo mais doce de todos os outros que nem se fizeram recordáveis. Um querer bem. Carinho, cuidado, atenção. 
Era eu, resistindo a ser premiada com toda doçura do moço mais cobiçado. O moço tatuado de gestos adoráveis. Um jantar especialmente preparado, um presente personalizado, presença e proteção. Eu, a menina mais complicada, a menina do coração cansado e mente confusa. A menina que mesmo sem pretender, pôs tudo a perder. Coração burro, como ele dizia, e sim, eu concordava, coração burro em qualquer estação. 
E era verão. Naquele colo, naquela boca, naquela rede que embalava os corpos e confissões. Os medos, os desejos. Meus de querer ser mais, sem ter de dizer. Dele de já se sentir assim sem ter avisado. Mas então, repentinamente, novos ares me trouxeram novos sentimentos e os de antes ficaram na contramão, em extravio, em desencontro. 
A tal paixão anunciada, batia agora descompassada, desde que os meus sentidos entraram em desalinho imprevisto. O que parecia ser início, deu lugar a um fim desavisado e mesmo fugitiva de cortar um coração, cortei dois. O teu, por ter seguido contra toda expectativa e sentimento que me foi dedicado, por ter me retirado sem a coragem de assumir a possibilidade de querer voar pra outro par, outro lugar. 
Fraqueza, impulso de um coração insano, não dissimulação, como me foi irrogado. E o meu, meu coração burro, também foi cortado por te fazer sentir o que nem conseguia entender, muito menos explicar. 
E como se não bastassem minhas auto-confusões, certas intervenções alheias completaram o desfecho nublado do que tinha tudo pra ser uma crônica com cores de um pôr-do-sol. E você acreditou, e você se retirou. E eu respeitei, me calei. E fim, assim.
Escrever hoje, depois de tanto tempo, não vem como um escrito de arrependimento, saudades, confissão ou convencimentos nas entrelinhas. Não. 
Esse é um traduzir de tudo que ficou em mim, de tudo que me veio à lembrança ao te ver, por acaso, passar. Esse é um declarar de todo o meu querer bem a quem me quis também. 
Meu sentir, a quem sem querer, deixei a mágoa como lembrança. Entre tantos contemplados com palavras minhas, essa sou eu, quebrando o protocolo, dedicando algumas pra você. Essa sou eu, arriscando um oi e uma canção pra dedicar a quem não me despedi.
Porque apesar de tudo, eu ainda lembro da fala de um de seus artistas preferidos e me apodero delas pra dizer que "eu apenas queria que você soubesse que aquela alegria ainda está comigo, e que a minha ternura não ficou na estrada, não ficou no tempo presa na poeira". (Gonzaguinha)

41 comentários:

  1. Ah, lembrei de muitos acasos agora guria...
    Beijos meus
    E um doce final de semana pra ti!

    ResponderExcluir
  2. Aaah, adoreeii, :)



    Um otimo fim de semana, Yahana,
    Um beijo e LUZ*

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Yohana, ultimamente teus textos têm tido o dom de me tocar nos sentimentos mais profundos que carrego aqui. Guardados, escondidos do mundo e às vezes até de mim mesma. E é incrível que as tuas palavras consigam ressaltá-los, reavivando-os, mexendo comigo de uma forma absurda.
    E, sinceramente, adoro isso. Adoro vir aqui, me identifico muito com o que escreves.
    Bom, é isso. E parabéns mais uma vez por tão belas palavras.

    ResponderExcluir
  6. Texto extremamente bem escrito e lindo. Adorei e até agora estou encantada com sua forma de escrever tão preciosa.
    Seu blog é delicadamente maravilhoso. :)
    Obrigada pelo comentário, flor!
    Beijos mil, fica com Deus!

    ResponderExcluir
  7. Lindo, lindo, lindo!! Adorei e estou seguindo.

    ResponderExcluir
  8. Olá amiga querida!
    Passando para lhe desejar uma semana iluminada!
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que texto lindo, cheio de recordações belas! Te desejo tudo de bom flor. Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Yohana.

    Que bela "ficção" contada em palavras.Em momentos assim, tenho receio em comentar e mudar o rumo das coisas para um lado que não deveria ter sido. Não sei se conseguiu me entender. Rs'

    Uma riqueza muito grande em detalhes. Tens talento. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. Texto bonito!

    É ótima a sensação de deixar e carregar boas lembranças, né? Sinal de que fizemos a coisa certa. ;)

    Beijos, flor.

    ResponderExcluir
  13. Sentimento puro. Me sinto exatamente assim...

    Doce, sempre doce Yohanna!

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá Yohana!.. Ahh que já estava com saudades de ler seus lindos textos!!
    Uma super beijoca em seu coração e uma linda semana para você!!!
    Verinha

    ResponderExcluir
  15. o que seria de nós se as pessoas que partissem não deixassem um pouco de si em nós, da alegria, da ternura...não teríamos textos tão lindos como esse teu.

    Beeijos.

    ResponderExcluir
  16. aah menina, chorei =/
    tão sensível... tão verdadeiro...
    beijin =*

    ResponderExcluir
  17. É tanta doçura que me fizeram suspirar. Eu imaginei cada cena; do taxi, da praia ao som de Gonzaguinha... lembranças de um bom verão.
    Ah, menina, de todos os textos que já li, esse foi o que eu mais gostei, meu preferido.

    um beijão

    ResponderExcluir
  18. Como sempre arrasando nos textos *-*
    muito lindo !
    beeijos

    ResponderExcluir
  19. O coração bate forte. O coração bate forte, mas a gente vê que foi só uma distração...
    Beijo beijo liiinda

    ResponderExcluir
  20. Seus textos memiga sempre muito a ver comigo me identifico muito com todos adoro sempre passar por aqui porque sei que vou encontrar algo lindo
    bjuss

    ResponderExcluir
  21. E é sempre assim,
    as vezes nos perdemos da ilusão do triste passado.
    Pode ter nos feito bem ou mal,
    quem decidirá isso somos nós.
    Adoro vir aqui menina do café do lado direito.

    Beijos,
    Dan

    ResponderExcluir
  22. Li, reli, gostei, tô seguindo e concerteza voltarei.
    Belo blog Linda !

    beiijoos

    ResponderExcluir
  23. Lindo teu texto.Incrivel como somente com as palavras vc me faz visualizar tudo, como num filme.
    Beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  24. Retribuí sua visita, e amei seu espaço.
    Voltarei sempre ;*

    ResponderExcluir
  25. Essa música diz tanto de mim.... é linda. Que susto em moça? Dar de cara com um ex grande amor não é fácil.

    ResponderExcluir
  26. Olá, linda!
    Olha, se você se identificou não vai será nossos signos que fará mudar alguma coisa, não é mesmo?

    Sobre o seu texto; gostei muito. Separações não são nada fáceis. E só de olhar para a pessoa faz arrepiar até o ultimo fio de cabelo..
    Identifiquei-me por uma situação que vivi, mas que acabou retrocedendo..

    Então, gostei muito daqui e to te seguindo também, ok? Beijos, flor!

    ResponderExcluir
  27. uauuu.... não sei como, mas vc conseguiu me transportar ao passado e me sentir dentro desse texto, só que em cenas já perdidas de minha vida...

    parabéns adoro muito ler o que vc escreve

    bjkssss

    ResponderExcluir
  28. Quanta sensibilidade nas tuas palavras menina!
    Dois anos parecem dois dias no seu texto, tudo ainda está muito vivo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  29. Moça que texto mais lindo! Eu consegui enxergar cada pedacinho do seu texto!
    Deixou meu coração na corda bamba e meus olhos encharcados!
    Beeijo ;*

    ResponderExcluir
  30. Oi!
    Vim aqui te fazer um pedido e acabei me deparando com isso tudo! Seu blog é show! (Seguindo)
    Enfim, vamos a objetivo:
    Além do mu blogspot tenho tbm um wordpress. Estou fazendo uma matéria sobre o trabalho do Gabito Nunes, tanto pro blog quanto pra revista do meu curso (faço jornalismo). Vi que tu curte caras como e queria te fazer umas perguntas, mas por aqui é dificil.
    Se for possível me passar um endereço de email, agradeço. Meu email é marinhaluiza@hotmail.com

    Abraço

    ResponderExcluir
  31. já vi essa cena antes.....

    adorei seu blog, parabens

    ResponderExcluir
  32. Sddes deste espaço, destes bons textos ...

    beijo meu'

    ResponderExcluir
  33. Olá ! Parabéns pelo Blog. Um casamento perfeito entre idéias, designer e sentimentos.
    Eu, particularmente gosto disso. Vim, vi e SEGUI. Passarei mais vezes por aqui para saber das novidades e deixar algum comentário.
    Te convido a conhecer o BLOG DO SUPER WILL ou BSW. Um Blog que tenta pela exposição das palavras e dos sentidos descobrir o que não se vê até que nada mais esteja invisível. Não acho pretensão , mas uma loucura necessária ao dia-a-dia. Confira! Nos dê a honra de sua companhia e sua visita .

    Mais uma vez meus parabéns por este Recanto de bom gosto, humildemente chamado de Blog e fique sempre com Deus.

    ResponderExcluir
  34. Lindo , lindo'

    tava com saudade daqui'
    Amo a maneira com escreves'
    e como a junção das palavras ficam perfeitas aqui.

    beijinhos.

    ResponderExcluir
  35. Lembranças, lembranças... quase que latentes. Vivas. Me indentifico demais com teus textos. Sério mesmo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  36. Nossa muito lindo e rico sem blog, adorei.
    Bjos

    ResponderExcluir
  37. De todos que consegui ler aqui, esse foi um dos mais bonitos.
    O blog é uma doçura.

    "(...)Era um livro emprestado, uma foto ainda guardada, um cd não devolvido. Um passeio na praça beirando a madrugada, uma mesa, duas cadeiras e toda uma platéia curiosa. Era uma canção de Gonzaguinha cantada ao pé do ouvido na areia da praia de lua prateada e o beijo mais doce de todos os outros que nem se fizeram recordáveis. Um querer bem. Carinho, cuidado, atenção. Era eu, resistindo a ser premiada com toda doçura do moço mais cobiçado."

    ResponderExcluir
  38. "E como se não bastassem minhas auto-confusões, certas "intervenções alheias completaram o desfecho nublado do que tinha tudo pra ser uma crônica com cores de um pôr-do-sol. E você acreditou, e você se retirou. " E eu fui atrás, porque você fez diferença pra mim...
    LOL
    Identifiquei-me com o texto, e estou correndo atrás porque não quero deixar de dar tchau. Na verdade, não quero dizer tchau mais.

    ResponderExcluir