segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Pra início de conversa!

11 Comentários
Não sei dizer quando ou como comecei a escrever assim e acho que seria pretensioso dizer que este é meu dom. Mas sem dúvidas, escrever é um dom que desenvolvi pra me conhecer e me encontrar, me expressar de maneira plena, me fazer entendida.
Escrever para comunicar, agregar, encantar o papel. Escrever para dar voz ao coração, descobrir os avessos das palavras, legitimar os quereres da alma e ter a leitura como cúmplice.
Escrever me faz bem, me faz leve, me dá cor. E é o que ao mesmo tempo me faz transparente, exposta e do avesso. Me deixa conectada, inspirada, alerta.
É como um presente que me dou e que faço questão de embrulhá-lo no papel, nem sempre mais bonito, mas o mais adequado pra ocasião.
É o ato que me deixa mais próxima de mim mesma, e acredito que também dos outros.
Lembro que, quando criança escrevia cartões pra demonstrar carinho ou pra me desculpar de alguma desobediência que de praxe, fazia. Já me diverti escrevendo diários, já virei noites escrevendo pra me declarar, já me arrependi de escrever respostas pra quem nem merecia perguntas, já quase enlouqueci escrevendo uma monografia. Quando adolescente escrevia cartas pra todos os cantos do mundo, fazia amigos que tenho até hoje e creio que aí começara minha mania de comunicação.
Ultimamente, eu, tão defensora da liberdade, escrevo obedecendo a ordens de um coração que um dia está feliz, satisfeito, apaixonado, outro dia do avesso, furioso, ansioso ou só mesmo tagarela. Coração que põe em prática a inspiração, a imaginação, resgata memórias e anuncia interrogativas. E então lá vou eu buscar palavras pra tentar encontrar os porquês de tantos sentimentos inquietos.  E eis que percebo - quase que como uma obviedade - que  muito mais do que me expressar, me aproximar, questionar, protestar ou me libertar, escrever, em si, é a resposta mais imediata do meu coração pra todas as perguntas que eu carrego dentro de mim.

11 comentários:

  1. Oi Yohana!
    Você se expressou bem e me peguei assim também.
    Sou amante da Verdade e um buscador eterno e es-
    crevia por gosto e......de geração diferente da
    sua e bagagens diferentes, compreendo o poder de
    escrever pois nos expomos a nós mesmos e quando
    publicamente o fazemos a exposição aumenta e crescemos em responsabilidades.
    Possuimos muitos dons e o da escrita como qualquer outro só se desenvolve com a prática e a coragem.Liberdade é de fundamental importância
    e uma mente livre tem muito a contribuir para auxiliar na derrubada de barreiras que nos impedem de alcançar o entendimento de que TODO O
    PODER É DE DEUS.TODA A INTELIGÊNCIA É DELE!
    O template escolhido é bacana e nessa parte técnica ainda tenho pouco domínio.
    Vamos que vamos ao debate leal pois ele promove
    a liberdade!
    Beijos de mel, entusiasmados!

    ResponderExcluir
  2. YOHANA...

    VOCÊ PODE CHAMAR ISSO DE DOM SIM MEMIGA... PQ NINGUÉM SE EXPRESSA TÃO BEM ASSIM SE NÃO TIVER UM DOM E VC COM CERTEZA TE VARIOS E SENSIBILIDADE É O PRINCIPAL DELES COM CERTEZA...

    BJKSSSSS

    ResponderExcluir
  3. Estou te seguindo miga..parabens pelo blog...Beijos

    ResponderExcluir
  4. Seu blog está lindo e o visual... nem se fala! Parabéns pelo seu bom gosto!!!

    ResponderExcluir
  5. oi querida td bem fico feliz de ter contribuindo um pouco para vc criar umblog e realmente nasceu lindo e sensivel como vc e suas palavras !
    bjs Parabéns pelo blog ..ja seguindo

    p.s faltou eu ali(meiroca alegria de viver) no cantinho ...rsrs

    ResponderExcluir
  6. Amei, Yohana! Bela e singela maneira de se expressar. Bjus

    ResponderExcluir
  7. ficou otimo_____Parabéns.
    expressou-se maravilhosamente bem!!!
    me lembrei de tantos momentos bons lendo esse seu desabafo, se assim posso dizer_bjs Yohana.

    ResponderExcluir
  8. Pessoal, que bom ser bem recebida e incentivada desta forma, posso dizer que com a ajuda de vocês, iniciei aqui muito bem! :)

    Bjs para tod@s!

    ResponderExcluir
  9. Aceita teu dom, teu ofício moça, como costureira de palavras; versadora de sementes. O poeta é o artesão do silêncio que leva vida inteira para provar do próprio fruto.

    ResponderExcluir
  10. Como é bom ler as coisas que você escreve. Que bom que você decidiu seguir por esse caminho. Quanta luz a gente recebe ao ler seus textos! Você me inspira. Beijos.

    ResponderExcluir