• amazing shot

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Eu não sei ocupar o seu lugar

22 Comentários


Já troquei os móveis de lugar: a cama foi parar na parede oposta à porta, embaixo da janela, já que você gosta de olhar a noite quando perde o sono. O computador foi desconectado, guardado em uma caixa empoeirada no “quartinho da bagunça”. Aproveitei e troquei os lençóis, pois sei que não gosta de vermelho e o rubro dele já está desbotado pela espera. Tirei o quadro do Piet Mondrian que você não suporta e coloquei em cima do armário. O prego ficou lá, aguardando o novo quadro que você disse que traria. Desocupei seu lado do armário que enchi de coisas minhas para preencher o vazio que você causa. Todas as gavetas me pertenciam, agora três delas são suas. Acho que conseguirá sobreviver somente com elas. Tudo com você é muito provisório, temporário demais para você querer um armário todo. Espaço demais. Presença de menos.
Aquela mesa de centro da sala que era causadora de múltiplas topadas foi vendida. Minto, eu não vendi, dei de presente a uma amiga que está de casa nova. Realmente você tinha razão: a sala ficou mais ampla. Nada mais atrapalhará nosso caminho. Até o tapete escorregadio se foi. Aliás, nessas coisas de partidas, você e o tapete têm muito em comum. Desculpe, prometi não te criticar.
O Cabernet chileno está na geladeira e pode ficar tranquilo que eu comprei as benditas taças que você sempre reclamou que faltava. Não entendo bem delas. Só entendo de xícaras, chás de camomila e tranquilizantes. Mas isso você não conhece e espero que nunca prove desta dose.
Os celulares estão desligados e os despertadores adormecidos. Arranquei suas baterias, suas vidas. A casa está limpa, fresca, silenciosa e na medida do seu gosto. Eu só esqueci uma coisa: você não está aqui. Não lembrei de te incluir no meu checklist.
Quero alguém que tome um porre comigo em uma noite de sábado, dentro de casa mesmo, que comece no sofá, termine na cama e não ligue se o vinho do Alentejo será sorvido em copo americano. Que goste de observar a noite, peça para eu sentar ao seu lado e fale sobre a vida. Que ao me ver desanimada com as circunstâncias, corra até o aparelho de som e coloque James Morrison bem alto e me convide para cantar This Boy aos berros pela casa, num inglês errado e desafinado. Que me agarre pelas costas e me dê um beijo no pescoço quando eu estiver com Alighieri nas mãos. Que despeje seu mundo em minhas mãos para eu cuidar. E que eu possa caber dentro do seu abraço.
Quero todo esse sopro de vida, essa felicidade clandestina e popular, sem prescrição médica.  Sem mandar fabricar, esperar a encomenda chegar. Sem observar a tecnologia inventar, sem avisar com antecedência. Sem aguardar você querer.
Eu queria outro alguém para completar a cena, outra pessoa que entre em mim, encaixe seu corpo no meu, ajustando-se em meus sonhos, minhas expectativas, minha vida.
Você já fez parte do meu escopo, meu roteiro, meu esquete. Agora você é saudade, cor desbotada, vaso sem flor, luz apagada e rascunho descartado.

 _______________________________________________________________



Eu não sei ocupar o seu lugar é uma das crônicas de autoria da Aryane Silva, que estará no livro Amor, Insônia e outras travessias, que escrevemos em parceria. O livro está em pré-venda (linda e cheia de vantagens) na Livraria virtual Sanfer Livros , com frete grátis para todo o Brasil, e o lançamento acontecerá em dezembro, no Rio de Janeiro. 


Amor, Insônia e outras travessias foi pensado e feito com um carinho todo especial e esperamos muito que vocês gostem! Confira mais do livro AQUI.



Yohana Sanfer é escritora, autora do blog Papel, palavra, coração, autora  dos livros Da boca pra dentro,  
É de menino, é de menina  e criadora da livraria virtual Sanfer Livros.   
                                                        
Siga- no
 Facebook - Instagram



Aryane Silva é escritora, carioca, autora do livro (Re)encontros, escreve no blog Amor em letras  e é estudante de Letras.

Siga- no




Continue lendo »

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Amor, insônia e outras travessias - LIVRO NOVO!

34 Comentários
~ Depois de tanto tempo de idealização, preparo, dedicação, borboletas no estômago e muita expectativa, venho contar pra vocês: o meu novo livro está pronto! Meu não, nosso! 
A grande novidade é que eu não venho sozinha nele.  Dividirei as linhas de Amor, insônia e outras travessias com uma escritora super querida e talentosa, a Aryane Silva

Aryane é autora do livro (re)encontros e escreve - lindamente - no blog Amor em letras. Juntas, preparamos um livro com um carinho todo especial. São crônicas que falam de amor, de saudade, das surpresas do tempo e das transformações que acontecem em torno e dentro da gente. Um livro pra te abraçar e pra você se encontrar nele. Então, ele também é seu!

Quer sentir um pouquinho do que você encontrará  nele? Confira aqui um dos meus textos do livro e confira aqui um dos textos da Aryane.  Abaixo a sinopse:

Tudo é um ciclo. Primeiro, nos reconhecemos no outro através do amor. Ele pode ser platônico, bem vivido, saudosista, não importa: a essência é a mesma. Ele chega e muda a vida de todos. Causa borboletas no estômago, expectativa e noites sem dormir. Nessas noites em claro, pensamos no outro que nem sempre está perto, amamos cada lembrança, sentimos saudade. E se a saudade é boa, o amor é renovado com sorrisos bobos. Se não, é hora de mudar e seguir em frente. Amor, insônia e outras travessias é este ciclo escrito no papel, que fala sobre a minha vida, a sua vida, a vida de todos nós.

O lançamento acontecerá em dezembro, no Rio de Janeiro, e você já pode garantir o seu exemplar na pré-venda linda que nós preparamos através da Livraria virtual Sanfer livros . Com ela você terá todas essas vantagens:

 Será um dos primeiros leitores a receber o livro autografado, com marcadores e card com trecho do livro
❤  Você receberá uma cartinha cheia de afeto das autoras
 Você receberá uma versão exclusiva do nosso e-book, com 6 textos adicionais e inéditos.
 E concorrerá a um sorteio exclusivo para leitores da pré-venda, de uma caneca literária + vale-livro da Livraria virtual Sanfer livros.

E mais: o frete é grátis para todo o Brasil!   
Uma lindeza, né? Para garantir o seu, é só vir AQUI.

Para acompanhar todas as novidades sore o nosso livro novo, acompanhe as nossas redes.
Um beijo e esperamos que vocês curtam muito as páginas  desse livro feito de amor e sonho.


Yohana Sanfer  é escritora, autora do blog Papel, palavra, coração, autora  dos livros Da boca pra dentro,  
É de menino, é de menina  e criadora da livraria virtual Sanfer Livros.   
                                                        
Siga- no



Aryane Silva é escritora, carioca, autora do livro (Re)encontros, escreve no blog Amor em letras  e é estudante de Letras.

Siga- no


Continue lendo »

Cada estrela

31 Comentários

Respirei fundo de frente praquele finzinho de pôr do sol. Laranja, rosa, quase lilás. As cores de um céu pintado de festa contrastavam o que eu não queria ver. Um dia novo. Um dia novo e cheio de convites pra sorrir. As cores mostravam como o mundo é bonito e os recomeços possíveis. E as pontadas no peito lembrando que o mundo não tem graça sem você cabendo nele.
Foi fácil secar cada lágrima que veio sem aviso e as tantas outras que previ com as suas músicas preferidas invadindo os meus fones de ouvido - as mangas da blusa velha que cê esqueceu aqui são mesmo ótimas pra isso. Difícil foi evitá-las. Engolir o grito que vinha rasgando a garganta a cada flash seu na memória. Daqueles dias de chuva, das histórias que nunca tinham um final possível, da viagem prometida que a gente nunca cumpriu, da tua fascinação e medo da noite.
Sabe, a noite pode ser sim uma boa companheira. Foi nela que tentei curar a falta do teu riso, do teu deboche, do teu jeito bonito que encantava e irritava tanta gente. E ali fui descobrindo mais. As verdades que tanto evitávamos não são tão desconcertantes. Bicho é mesmo bem melhor que muita gente. Aquele boteco da esquina até que tem bom atendimento e, olha, to aqui concordando que cerveja gelada cai bem.
É. Gastei algumas madrugadas e trocados por aí, tingindo guardanapos com saudade tua. Tropeçando nos erros que eu negava, resgatando cada fala sua. E assim foram passando também os dias. Com poucas surpresas e velhas notícias.
O cara estranho daquele café badalado continua cantando Stand by me daquele jeito engraçado, errando a ordem do refrão. A rua nove continua com aquela obra que tira a minha calma. Aquela senhora simpática do quarto andar continua insistindo que cada estrela no céu é um presente seu. A chance de mudar pra BH veio, mas não foi lá bem como eu esperava. Aquela minha amiga não era mesmo tão amiga como a gente suspeitava.
Gente que vai, tombo que vem. Por fora tudo parece mudar tão depressa. Previsões, moda, ponteiros, fofocas, estação, calendário. Por dentro só uma demora em te superar. A vida? A vida até que vai bem. Mas é punk viver num mundo onde não tem você.

                _______________________________________________________________


Cada estrela é uma das crônicas do meu novo livro, Amor, Insônia e outras travessias, em parceria com a autora Aryane Silva, autora do livro (re)encontros e do blog Amor em letras. O livro está em pré-venda (linda e cheia de vantagens) na Livraria virtual Sanfer Livros e o lançamento acontecerá em dezembro, no Rio de Janeiro. 

Amor, Insônia e outras travessias foi pensado e feito com um carinho todo especial e esperamos muito que vocês gostem! Confira mais do livro AQUI.





Yohana Sanfer tem 33 anos, é escritora, autora do blog Papel, palavra, coração, autora  dos livros Da boca pra dentro,  
É de menino, é de menina  e criadora da livraria virtual Sanfer Livros.   
                                                        
Siga- no

Continue lendo »

terça-feira, 11 de abril de 2017

~ 7 dicas para a sua viagem!

Deixe um comentário

Uma viagem pode ser refúgio para dias nublados.
Uma viagem pode trazer renovação para um coração sem direção.
Uma viagem pode te deixar livre, em paz e te fazer sorrir ainda mais...

Posso ainda dizer aquelas famosas frases: "Viajar é mudar a roupa da alma" ou "Uma vez por ano, vá a algum lugar que nunca esteve antes". Ah essa última se tornou a minha preferida! E comecei a praticar o conselho do grande mestre Budista Dalai Lama há alguns anos.

Sempre amei viajar! Conhecer novos lugares, viver novos momentos, conhecer novas histórias. Poder registrar e compartilhar tudo isso, fez eu me tornar Blogueira e agora também Fotógrafa.

Viajar é bom demais! Mas nem sempre temos facilidade em termos de tempo e financeiramente falando, para percorrer esse mundão a fora. Eu particularmente, nem sempre posso tirar férias pra fazer viagens longas (tenho uma rotina normal de trabalho diária). Mas aprendi que posso explorar o mundo várias vezes em um ano, de várias formas, por vários ângulos.
Há alguns anos atrás, planejei minha primeira viagem de avião com o auxílio de um porquinho de barro. Sim, gente! Aqueles cofrinhos de porquinhos que vendem nos semáforos por aí...Rsrsrs Todo trocadinho que tinha, depositava nele. E durante 8 meses foi assim, até o dia da viagem. No dia de embarcar, quebrei para retirar o dinheiro. Para minha surpresa, o acúmulo de trocadinhos nos últimos 8 meses havia me rendido​ um quantia significativa, para pelo menos bancar algumas refeições ou passeios (ainda não tinha muita habilidade para pesquisas e planejamento do roteiro com preços e dicas de locais baratos). O fato é que ao final da viagem, o dinheiro do porquinho ajudou na contratação de todos os passeios que fizemos por Natal, RN e também para fazermos um bate-volta à João Pessoa, PB. Foi a partir daí que curti montar minhas viagens e a compartilhar dicas de como é possível chegar lá.

Em todas as viagens que fiz, busquei sempre montar um roteiro por conta própria, para que tudo saísse perfeito, do meu jeito e na medida exata. Sou daquelas que adora conhecer lugares diferentes, que nem sempre estão nos roteiros tradicionais das agências. Não tenho nada contra as agências! Acho até que elas ajudam bastante as pessoas a realizar seus sonhos de conhecerem lugares incríveis. Mas é que eu gosto mesmo é de me aventurar e conhecer as coisas no meu tempo, conforme o coração desejar.
No último ano, por algumas escolhas, precisei abrir mão de uma viagem que estava programando há algum tempo (Baheeeeaaa, um dia ainda te vejooo...Rsrsrs). Fiquei um pouco triste inicialmente. Afinal, além de ser algo que eu gosto muito de fazer, eu estava precisando naquele momento. Precisava de um fôlego, de uma renovação! Alguns dias se passaram, até que percebi, durante a minha melhor viagem de carnaval, que poderia me motivar programando a viagem dos meus sonhos ou simplesmente me programando para viajar mais. Foi então assim, que comecei a estabelecer algumas prioridades e mudei um pouco a minha forma de pensar sobre o assunto.  E ao estabelecer prioridades, a minha visão sobre viagens foi ficando mais madura e diferente. Para quem antes se preparava apenas para uma viagem de férias, hoje tenho como prioridade viajar e conhecer lugares diferentes, até mesmo durante os finais de semana. 
Parte desta visão, mudou com a minha realidade daquele momento, em que não pude tirar férias, e também com a seguinte reflexão: "Viajar é abastecer o corpo e a alma de memórias que nos ajudam a enfrentar o dia a dia." E é exatamente isso que viajar proporciona. Além disso, você pode ficar mais rico em vários sentidos e amadurecer em diversos aspectos.

E com tanta coisa bacana que venho aprendendo sobre viagens, resolvi listar em 7 minhas dicas básicas sobre viagens:

1 - Antes de sair correndo comprando passagens em promoção, faça a sua lista de locais para conhecer e pesquise, pesquise muito, muito mesmo, em qual deles você pode ter o melhor custo x benefício em termos de locais para conhecer, tempo para ficar, custo com o local, se haverá despesas extras como emissão de vistos ou outros tipos de taxas (isso sem dúvidas é um balizador na escolha), veja se você precisa tomar vacinas específicas.


2 - Local definido! Busque grupos sobre ele no Facebook e que de quebra podem te levar a grupos de Whatsapp desta trip. Essa sem sombras de dúvidas é uma das melhores dicas dos últimos tempos..Rsrs Mochileiros já praticam isso há um bom tempo. Mas somente há alguns anos os grupos de viagem se tornaram mais frequentes, movimentados e bem interessantes. Neles, geralmente estão não só os viajantes. Mas também moradores locais brasileiros que sempre dão aquela "mãozinha" na hora de compartilhar ótimas dicas sobre o local e como você pode fazer em casos de emergência, locomoção e afins. Minha viagem ao México foi praticamente toda planejada com as dicas do grupo "Dicas de Viagens Cancún", no Facebook e que foi criado por uma brasileira que mora lá há alguns anos. Gostei tanto da experiência, que resolvi repetir a dose para a minha trip pelo Sudeste Asiático! Foi então que descobri um grupo de brasileiros que moram na Tailândia, também no Facebook, e a partir daí, diversos grupos se formaram no Whatsapp. Além de ser uma ótima ferramenta para troca de informações, foi pelo Whatsapp que compartilhamos as datas do roteiro de cada um, adicionamos estas a uma lista pública no Google Drive e combinamos encontros dos Brazucas pela Ásia e alguns passeios juntos. O lance dos grupos também nos ajudou muito a criar laços de amizade. 😍


FOTO MONTAGEM DOS AMIGOS QUE FIZ PELA ÁSIA

3 – Itens indispensáveis em uma bagagem de mão ou na bagagem comum: Sempre leve uma muda de roupa na bagagem de mão: Não queremos nem pensar de ter a bagagem extraviada não é mesmo?! Mas é sempre bom pensar em parte no pior se planejar para isso.  Além disso, aeroportos são super frios. Você pode embarcar com uma roupa desconfortável e mal conseguir relaxar durante o trajeto (isso vale para viagens de carro também).

Em sua bagagem comum, tente colocar tags ou algum tipo de adesivo que lhe auxilie na identificação no momento da retirada em aeroportos, ainda mais se ela for preta.
Para qualquer tipo de bagagem, seja mala normal ou mochila, use lacre descartável para reforçar a segurança ou algum cadeado maior que o tradicional TSA. Em termos visuais, os cadeados TSA parecem seguros, mas nos engamos ao forçar uma caneta ou lápis sob o zíper da mala e ao arrastar, ela abrir e depois, basta puxar novamente o zíper na direção anterior, que parece que sua mala esta intacta!

Para evitar isso, passe o lacre descartável (costumo usar os lacres da Seal Bag) na alça da mala e no gancho do cadeado. Este mesmo processo funciona com aqueles cadeados que possuem o gancho maior, possibilitando encaixá-lo também na alça da mala. Você verá que não será possível arrastar o zíper pela mala, pois ele estará estático na alça, evitando assim que ela seja aberta e tenha itens furtados.


4 - Se tem vontade de viajar mais ou fazer aquela tão sonhada viagem, estabeleça prioridades em termos financeiros.

Hoje em dia é possível tentar economizar em vários aspectos. Você pode por exemplo optar por uma hospedagem mais em conta, já que na maioria das vezes se passa mais tempo na rua conhecendo o local, nem sempre é preciso arcar com hospedagens super caras e que podem vir a comprometer o orçamento da sua viagem.

É claro que existem aquelas viagens que buscamos também curtir e aproveitar o local de estadia. Mas como disse, tudo é uma questão de prioridades e também da sua condição atual. Se você pode gastar um pouquinho mais e quer curtir também o local de estadia, aproveite..;)
Um outro exemplo de economia para viagens, são os diversos programas de milhagens existentes hoje em dia. Compras no cartão de crédito com qualquer item, te rendem milhas. Abastecer no posto de gasolina, te rendem milhas. Lembrar sempre de resgastar os créditos das últimas viagens, também lhe rendem milhas! Pode ser que nem sempre você tenha a quantidade de milhas suficiente para resgatar 2 ou mais trechos. Mas ainda assim, existe a opção de milhas + dinheiro, onde você pode pagar fazer o acréscimo do que faltou em pontos, em dinheiro e pagar menos do que o valor da passagem normal.
Ainda na opção “milhas”, hoje a Gol linhas áereas conta com o Club Smile em seu programa de fidelidade, onde você pode pagar mensalmente um valor a sua escolha para acumular milhas todos os meses (Ex,: Participo do Club Smile onde pago mensalmente R$42,00 e acumulo, também mensalmente, 1.000 milhas).
Na hora de escolher o roteiro, pesquise sobre a alimentação no local e veja como você pode economizar neste quesito. Destinos como Europa constumam ter preços mais altos em se tratando de refeição. Já a Ásia é bem barata. E em alguns países da América do Sul e Central, dependendo do local, os preços costumam também ser acessíveis.
Programe transferências agendadas para sua conta poupança e esqueça que tem dinheiro indo pra lá! Ele pode te ajudar a compor uma bela viagem!
Não é muito adepto a esse lance de conta poupança, transferências, agendamentos, então procure guardar uns trocados do modo mais antigo e tradicional: O cofrinho!
Hoje existem inúmeras opções que deixam até a decoração da casa mais atraente, como por exemplo este quadro:

Você vai depositando dinheiro para sua viagem.

5 – Gosta de viajar, mas não tem tempo ou muito dinheiro disponível? Procure também conhecer os locais próximos da sua Cidade, Cidades vizinhas ou até mesmo, países vizinhos. Dependendo do país, gasta-se pouco e dá pra conhecer os principais pontos em um final de semana ou feriado (Ex.: Buenos Aires). Cidades próximas também são ótimas pedidas para refúgios durante os fins de semana e contribuem muito para a renovação da alma.
No último ano, por exemplo, como não pude fazer uma viagem de férias, recorri aos feriados normais, aos feriados das Olimpíadas, aos fins de semana, para explorar locais que ainda não conhecia, que são lindos e existem muitas coisas a se fazer por lá (Búzios, Ilha Grande, Paraty e Campos do Jordão).



6 – Se você é mulher e adora compor looks diferentes durante as viagens, como eu, tente economizar na hora de adquirir peças para a trip! Para a minha última viagem que fiz de 25 dias pelo Sudeste Asiático, levei peças leves (fiz meu primeiro mochilão e compartilhei a dica de como arrumar a mochila) e baratas. Precisei comprar algumas peças de roupas para usar nesta viagem em específico, por conta da Religião e costumes dos países que passei (este item é extremamente relevante durante a pesquisa). Muitas delas, comprei com ticket refeição...rsrsrs. Hoje em dia, muitas barraquinhas aceitam também esta opção como pagamento de roupas, e para sempre haver saldo nele, optava por consumir comida de casa. 


7 – A sétima dica básica e um das mais preciosas pra mim: não tire nada, além de fotos! Não deixe nada, além de pegadas. Não leve nada, além de lembranças! Melhor ainda se elas te acompanharem fisicamente em uma fotografia.
Amo curtir a vibe do lugar, aproveitar intensamente tudo há de bom para explorar. Mas registrar os melhores momentos que tenho na vida, faz parte da paixão que carrego aqui, dentro de mim...

Então não esqueça de levar pelo menos uma câmera. E faça registros do que quiser, como quiser e sempre que puder. As memórias a gente carrega no coração. Mas as fotos também podemos mostrar um dia para os nossos filhos e dizer a eles o quanto soubemos sorrir.


Agora não esqueça das dicas e comece colocar em prática para realizar a sua próxima trip, hein?!

Um super beijinho,
Pathy Lourenço


Patrícia Lourenço ou Pathy Lourenço, 30 anos, carioca, taurina. Administradora por formação e Pós-graduada em Gestão Estratégica por Processos, alimenta durante anos a paixão pelo mundo da maquiagem, beleza, moda e fotografia. Ama viajar e capturar a beleza, o encanto de cada lugar que passa e dos momentos que vive. A partir da ideia de amigos, recentemente criou o blog Beauté Clicks para divulgação dos seus trabalhos e hobbies. Futuramente, busca se especializar em cada um deles para expandir suas paixões à sua vida profissional.

Pathy Lourenço é colunista convidada do blog Papel, palavra, coração.
Siga a blogueira no:
Continue lendo »

quarta-feira, 29 de março de 2017

Descalça

5 Comentários

Cansou. Pegou as chaves e os desejos de recomeço. Pegou coragem e o caminho ao lado. 
Bateu a porta, rasgou os mapas, desfez os planos, refez as malas, destraçou roteiros.

Foi tarde. Deu tempo de se perder nos quases e revisitar lamentos. De doer as incertezas e deixar a lembrança adornar os pensamentos. Mas foi. Perdeu as listas, não leu os rótulos, evitou ponteiros. Era o vento o seu termômetro.

E numa noite que parecia eterna, fechou os olhos, chamou o sono. Dormiu nublada. Acordou sol. Assim, sem mais.

Abriu as cortinas. Uma luz lhe ardeu os olhos. Entendeu o recado. O alívio sorrindo por fora, o medo pulsando por dentro. O sentimento atravessado no peito, as interrogações pedindo espaço pra sua paz. Ignoradas. Seguiu a canção e preferiu apostar pra ver se tinha a sorte de ganhar.

Saiu. Pra ser aprendiz, pra ser maior. Pra procurar abrigo em si mesma, pra encontrar um abraço no que ainda não viu.

Vestiu- se de nuvem, de reticências, de amanhã.
Cabelo solto, saia pra rodar, um sorriso sem motivo e pés dispostos a descobrir esquinas. 

Estava feito.
E de riscos, de luas, velhos sonhos e novas danças bordou os passos que viriam.

Estava inteira, entregue, intensa. Estava descalça. 
E isso não era um problema.

______________________________________________________________________

Para ouvir antes, durante ou depois da leitura:

Desalento - Anna Ratto


Yohana Sanfer tem 32 anos, é escritora, autora do blog "Papel, palavra, coração", autora  dos livros "Da boca pra dentro",  
"É de menino, é de menina"  e criadora da livraria virtual Sanfer Livros.   
                                                        
Siga- no


Continue lendo »

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Se (des)encontra

1 Comentário
Você sai e bate a porta.

Existe um coração cheio de incertezas sobre a vida adiante, mais uma certeza que se apresentou à sua frente, após estapeá-la até implorar por compaixão. Ele não é pra você. Não agora, talvez um dia, ou nunca. Não vai esperá-lo, pois  foram tantas as vezes que se esbarraram na rua, faculdade, naquela balada vazia de sexta à noite após um longo dia em frente ao computador no serviço; a badalação que lhe proporcionaria relaxar ao som de umas músicas que você nem ao menos gosta, ou aquela pela qual é apaixonada. E ele iria chegar e te pagar uma bebida, ou então conversar por um tempo e dizer que faria a noite na pista valer a pena. No dia seguinte você mandaria mensagem e depois de tantas vezes observar a última visualização receberia: “Alice da onde?”. Tapa na cara, black out no coração.
Ele é o cara que te conquista com o olhar, com o jeito manso de se chegar. Aquela voz no pé do ouvido dizendo tudo o que você, no fundo, sonha em ouvir desde que sonhou com o amor ao vê-lo pela primeira vez num filme meloso qualquer. Ele te pega pela cintura e leva até o meio da pista. Não existe mais o momento em que você passa o braço envolta do pescoço dele, deita em seu ombro e vocês movimentam-se devagar ao ritmo de uma balada romântica. Isso é passado, inadequado, “careta”, como o ouviu dizer quando comentou seu breve devaneio numa noite qualquer. Existe a música agitada que os fazem sorrir olhando um para o outro num puro jogo de sedução enquanto se balançam para lá e pra cá no meio da multidão. Você está descarregando seu cansaço, buscando euforia, quer deixar suas horas em casa escorregarem no balcão do bar e na pista. O que vale a pena afinal?
E então você para, e a questão de que ele pode ser o homem da sua vida não quer calar. E você deixa que ele seja seu durante aquela festa, e você dele. Vez ou outra ele diz que vai ao banheiro, ou buscar uma bebida para vocês. Ele volta e diz que esqueceu no balcão, e você tomada por aqueles olhos que refletem o futuro, balança a cabeça e o deixa sair novamente, voltando com um sorrisinho malicioso portando uma bebida qualquer que pediu para o cara do bar escolher. Bom, ao menos ele pagou a comanda da desculpa esfarrapada.
Você o vê no corredor da faculdade, ele acena e você entra na sala. O professor fala enquanto você imagina o final de semana prometido nas mensagens da manhã. Mas a promessa daquele filme não é cumprida, e o final de semana em boa (má) companhia não chega. E você percebe que matou aula inconscientemente imaginando algo não sólido, culpa sua? Não, de ambos. Os dois que não deixaram claro o que acontecia ali, e talvez tenha desgastado todo aquele quase que consiste em dois silêncios. Se houvesse conversa, sim, ele diria que era curtição, e você sairia fora, porque se quisesse algo passageiro, ficaria com aquele da balada que nunca mais veria na vida, que se aproximou quando ele saiu para pegar uma bebida.

Brunna Correia é paulistana, web designer e futura jornalista (ou roteirista). Ama a escrita, é autora do blog Brutwos e colaboradora do blog Papel, palavra, coração. 

Siga no:
                        Facebook  - Instagram  - Twitter
Continue lendo »